Desvendando o mercado de trabalho em Calgary

Trabalho em Calgary
Mercado de trabalho em Calgary
dezembro 20, 2018
College em Calgary
fevereiro 21, 2019

Desvendando o mercado de trabalho em Calgary

É muito comum vermos em grupos de discussão algumas pessoas reclamando constantemente sobre a crise do Petróleo e outras dizendo que “por aqui não falta trabalho”. Parece mentira, mas ambas são verdadeiras. Sobre a crise do Petróleo e os efeitos na cidade você pode conferir neste post (fazer link para o post anterior); hoje vamos ajudá-los a entender um pouco mais sobre os níveis de trabalho, como se posicionar no mercado e construir uma carreira no Canadá.

Calculando o salário

No Brasil temos a jornada de trabalho padrão de 8 horas diárias, totalizando 40 horas semanais. O salário mínimo é baseado no pagamento mensal e não por hora e mesmo aqueles com salários bem maiores que o mínimo consideram, quando estão procurando ou recebendo ofertas de trabalho, o valor mensal.

Por aqui é diferente, os canadenses observam o valor da hora de trabalho e o montante que fazem por ano. A princípio o sistema é complicado, mas uma vez que passamos a calcular o preço de  cada hora do nosso dia valorizamos mais o nosso tempo e o tempo do outro. Deixando de lado reflexões sobre esse tema específico para outra ocasião vamos a uma comparação básica:

 

Salário mínimo no Brasil em 2018 (fonte www.trabalho.gov.br )

 

Salário mínimo na província de Alberta em 2018 (fonte: www.alberta.ca )
Hora     R$ 4,34 C$ 15,00
Mês (considerando uma jornada de 40h/ semanais para ambos)     R$ 954,00 C$ 2.400,00
Ano R$ 11.448,00 C$ 28.800,00

 

Esse é o valor bruto e em ambos os casos sabemos que há desconto de impostos. Além disso, o salário mínimo varia de província para província, sendo Alberta, hoje, a província que tem o maior valor do Canadá; o menor valor atualmente é pago pela província de Nova Scotia: C$11,00/h.

Quem pode trabalhar e quantas horas por semana?

Apesar dos cálculos serem feitos por hora e as jornadas de trabalho serem, via de regra, bem mais flexíveis do que temos hoje no Brasil, os contratos são “full time”, com jornada de 40 horas semanais e “part time” com jornada de 20 horas semanais. Residentes permanentes, cidadãos e residentes temporários com work permit podem trabalhar  tanto 40 horas semanais em uma mesma empresa quanto 20 horas semanais em duas empresas diferentes ou ainda 20 horas em uma empresa e as outras 20 horas dedicar-se a outras atividades como cursos de especialização, mais tempo com a família ou apenas trabalhar o suficiente prá pagar as contas e aproveitar o tempo restante do jeito que melhor convier. Já os residentes temporários com visto de estudo/work permit podem trabalhar apenas 20 horas e as outras 20 horas são dedicadas ao curso que está sendo realizado. Vistos de turista ou vistos para curso de inglês não dão direito ao work permit.

Survival jobs ou Entry Level Jobs

Essa é a definição do trabalhos para quem está ingressando no mercado de trabalho, seja cidadão canadense ou não. São os trabalhos em redes de fast food, restaurantes, empresas de limpeza, vendedores de shopping e quaisquer outros que possam ser executados com rápido treinamento e não precisam de investimento em cursos por parte do empregado. Caracterizados pela alta rotatividade e rápida contratação, esse tipo de trabalho sempre tem demanda e por isso é a porta de entrada no mercado. Devido à alta taxa de imigrantes de diferentes países e idades é comum ver pessoas dos mais diversos perfis desempenhando essas tarefas: um doutorando pode muito bem estar desenvolvendo uma pesquisa na universidade e trabalhando como atendente em um café assim como um gerente de vendas de uma empresa pode ser garçom em um restaurante aos finais de semana. Survival jobs são tanto uma porta de entrada como uma forma fácil de complementar a renda ou ganhar um extra para uma viagem/compra de um imóvel/reforma da casa.

Sênior jobs

Esses são os trabalhos almejados por aqueles que passam por um college ou universidade no Canadá. Esse tipo de trabalho é mais demorado de conseguir e o processo é parecido com o que enfrentamos no Brasil: análise de currículo e entrevistas. Estudantes começam a enviar currículos para empresas com um ano de antecedência à data do término do curso e o histórico de atividades extras realizadas é um diferencial: trabalhos voluntários, estágio, participação em eventos, cursos de verão. Aqueles que já vêm prá cá com um curso técnico ou faculdade sem realizarem a equivalência do diploma não devem, por isso, deixar de mencioná-lo no currículo. Nessa etapa toda a experiência é importante para construir um bom “background” e chamar atenção dos empregadores.

Temporada de contratações

Historicamente os meses de março a julho são o período favorito pelas empresas para novas contratações em sênior jobs. Apesar de atualmente ser fácil se candidatar para diversas vagas através da internet e sair de casa apenas para realizar entrevistas a preferência pelo período da primavera e verão remete ao passado, quando a busca por trabalho era feita através de entrega de currículos porta a porta, o que era difícil nos meses de outono e inverno. É importante ficar atento a esse período para se planejar e evitar frustrações como se cadastrar em vários bancos de currículos em agosto e seguir meses sem nenhum retorno. Já para survival jobs a colocação no mercado é contínua, já que não há necessidade de mão de obra especializada.

Três dicas que valem ouro

Quem está se preparando para imigrar certamente já ouviu uma ou mais de uma dessas três dicas, mas só acaba entendendo o valor delas quando ingressa no mercado de trabalho aqui. Por isso vamos a elas novamente:

  • Construa uma rede de contatos;

Procure e conheça a comunidade brasileira, construa um relacionamento amigável com as pessoas ao seu redor: muitas empresas contratam por recomendação.

  • Seja flexível e dê o seu melhor;

Seja preparando um café ou servindo uma mesa empenhe-se no trabalho; seus co-workers podem ser boas referências pessoais no futuro e suas habilidades só irão ajudá-lo na hora de pedir uma carta de recomendação.

  • Nunca despreze o valor de uma carta de recomendação;

É um erro muito comum dos mais jovens em survival jobs se atrasar, não prestar atenção aos clientes, ficar de papo com colegas ou até mesmo usar o celular. Quando resolver mudar de trabalho uma carta de recomendação certamente não será favorável e pode fazer muita falta.

Humildade, força de vontade e disposição para recomeçar são peças chave para quem pretende imigrar. Se por um lado parece desanimador abandonar a posição já alcançada no mercado brasileiro e recomeçar do zero em outro país a face interessante dessa escolha é a certeza de que os frutos do esforço serão colhidos e saboreados! O convívio com outras culturas, o aprendizado de uma segunda língua e a possibilidade de usufruir de toda a estrutura de um país de primeiro mundo são alguns dos efeitos colaterais de todos que encaram esse desafio!

Quer saber mais sobre o mercado de trabalho em Calgary? Deixe sua dúvida nos comentários que responderemos em breve.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1
Olá! Você está se mudando para Calgary? Podemos te ajudar! 😊🇨🇦
Powered by