The winter is coming | Oficialmente o inverno se inicia em Dezembro
novembro 10, 2018
Trabalho em Calgary
Mercado de trabalho em Calgary
dezembro 20, 2018

Imigrando com seu pet

Imigrar com pets pode parecer complicado, mas não é nenhum bicho de sete cabeças. Seguindo as orientações abaixo dá prá trazer os companheiros de quatro patas e curtir bastante com eles por aqui.

Primeiras providências

Quem vai viajar com animais de estimação precisa, antes de qualquer coisa, verificar junto à companhia aérea as tarifas e normas para embarque. Animais de pequeno porte podem viajar dentro da cabine, acomodados aos pés do passageiro e animais de grande porte no compartimento de bagagem. Cada vôo tem um limite para transporte de animais, portanto quem vai trazer o pet deve comprar as passagens e entrar em contato com a companhia aérea para reservar o lugar do animalzinho o quanto antes.

O passo seguinte é verificar no portal do Ministério da Agricultura a documentação necessária para sair do país com o animal. Nesse portal é possível encontrar e baixar os formulários, lista de documentos e modelos de declarações exigidas por cada país. A equipe dos aeroportos é preparada para tirar dúvidas e é sempre muito atenciosa, após ler as orientações caso surja qualquer dúvida basta ligar e bater um papo prá não correr nenhum risco de esquecer algum documento. O link com informações é o http://www.agricultura.gov.br/assuntos/vigilancia-agropecuaria/animais-estimacao/sair-do-brasil/sair-do-brasil

Com toda a documentação reunida é necessário marcar um horário e comparecer pessoalmente no escritório do Ministério da Agricultura para emitir a autorização de viagem. Essa visita é agendada por telefone e NÃO É NECESSÁRIO LEVAR O PET.

 

Preparo antes do vôo

Além de vacinas e documentação existem algumas medidas que podem ser tomadas para reduzir o stress do pet e dos donos.

Reduzir os snacks e alimentos que não sejam ração pelo menos trinta dias antes da viagem facilitará a adaptação do animal durante a viagem e quando chegar aqui. Se o seu pet faz uso de algum medicamento é importante trazer a quantidade necessária para as primeiras semanas e se informar com o veterinário qual é o medicamento correspondente por aqui. Falando em veterinário, é esse profissional que deve orientar sobre a utilização de calmantes durante o vôo e essa medida não deve ser tomada sem a recomendação profissional já que fatores como altitude e pressurização de cabine podem afetar o efeito do medicamento.

Por último sugerimos que o transporte a ser utilizado para a viagem fique disponível no ambiente do animal entre 15 a 30 dias antes do vôo, dessa forma ele poderá se familiarizar com o mesmo antes da viagem.

Dia do vôo

Para o grande dia algumas providências na bagagem de mão podem ser bem úteis.

  • Dois saches de ração úmida para serem oferecidos no tempo da conexão entre vôos;
  • Dois ou três tapetes higiênicos;
  • Potinho para água e comida;
  • Manta (cobertor).

Cães podem transitar no aeroporto desde que estejam sempre na guia. Gatos podem transitar na guia também e mesmo que seu felino não seja adepto a passeios nós recomendamos o uso de peitoral e guia para a viagem, pois facilita na hora de tirá-los do transporte para a inspeção na imigração, quando eles devem passar pelo detector de metais no colo do dono.  Além disso eles podem até ficar no colo na sala de embarque e a guia dará a segurança de que eles não fugirão.

Pode parecer absurdo pensar que o animal vai ficar horas durante o vôo sem água e comida, mas é o melhor para evitar enjôos. Mesmo que o animalzinho seja peludo nós recomendamos sempre uma manta dentro do transporte para reduzir o desconforto devido ao medo e à baixa temperatura durante o vôo.

Chegada

Pronto, o pior já passou, mas antes de sair do aeroporto é necessária a inspeção final. Depois de pegar as bagagens os donos e os pets são encaminhados para a inspeção por um agente especial do aeroporto que irá verificar a documentação e poderá pedir para ver o animal fora do transporte. Também será necessário o pagamento de uma taxa de aproximadamente C$30,00 por animal.

 

É muito caro manter um animal de estimação no Canadá?

Canadenses amam animais e se preocupam em mantê-los saudáveis e evitando perturbar os demais. Existe uma série de normas de conduta que devem ser observadas, além dos cuidados básicos com veterinário, alimentação e taxa de cadastro.

A taxa para licença anual vigente em 2018 para a cidade de Calgary é de C$64,00 para cães não castrados e C$39,00 para castrados. Já para os felinos a taxa é de C$18,00 para castrados e C$37,00 para não castrados.

Uma observação importante: Caso os animais incomodem os vizinhos com barulho em excesso ou comportamento agressivo eles podem ser denunciados para o conselho comunitário e serão registrados como “animal inconveniente” ou “animal perigoso”, o que fica no registro fixo do animal e do dono, dificultando aluguel de imóveis e aumentando o valor da taxa de licença anual para mais de cem dólares, no mínimo. De forma a evitar esse inconveniente recomendamos coleira ou dispositivos anti-latidos e lembramos que ao passear na rua os animais devem estar sempre sendo conduzidos com guias.

Para finalizar ressaltamos que existem diversos dog parks na cidade onde os cães podem correr e brincar soltos em segurança; consultas veterinárias giram em torno de C$75,00 a C$100,00 e o valor aumenta conforme o tratamento a ser feito, como no Brasil; banho e tosa para animais de pequeno porte ficam entre C$50,00 a C$100,00 e o preço das rações varia conforme a marca, mas caso queiram ter uma ideia dêem uma olhada no site do Wall Mart (https://www.walmart.ca) e da Pet Smart. (www.petsmart.ca).

Por Lia Pereira.

1 Comentário

  1. […] VEJA TAMBÉM: Imigrando com seu pet […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
1
Olá! Você está se mudando para Calgary? Podemos te ajudar! 😊🇨🇦
Powered by